fbpx
Guia para Gestores de Escolas

Aplicativos: Conexão na educação

A atualidade nos mostra que estamos, cada vez mais, conectados em diversas redes, plataformas e ferramentas digitais. É possível observar, na última década, uma incorporação, de dispositivos tecnológicos em nosso cotidiano nas esferas social, profissional e pessoal. Com estes dispositivos – e por meio deles – facilidades, ferramentas e serviços com propósitos digitais ganharam notoriedade nos espaços de convivência.

A notória ascensão tecnológica alterou aspectos significativos, principalmente no processo educacional, que incorporou, em sua rotina, ferramentas e aplicativos digitais com diversos propósitos de melhorias, facilidades e interações para a comunidade escolar. Estreitando o olhar sobre a nossa realidade, o crescente interesse na adesão tecnológica, se deu, especialmente, nesse período de pandemia que atravessamos.

Arthur Igreja, especialista em tecnologia, inovação e tendências, acredita que a inserção tecnológica na educação acelerou por conta da pandemia. “Claro que também escancarou desigualdades, mas muita coisa que foi testada na pandemia jamais teria sido colocada em prática, seja por preconceito, falta de compreensão ou intimidade com a tecnologia. A inserção tecnológica na educação é algo indiscutível tamanha a evolução e revolução”, diz.

Mas, por outro lado, comparado a outros país, o aumento na utilização de aplicativos tecnológicos voltados para o ambiente escolar no Brasil ainda é limitado. “Diria que no Brasil esse movimento é tímido, pois são usadas ferramentas mais tradicionais de EAD, especialmente de ensino superior. Comparando com o que está ocorrendo em outros países como Índia e EUA, o Brasil está atrasado. Porém, já ocorria um movimento forte para o uso de aplicativos não só para pilotar a experiência de aprendizado, mas para outras áreas como relacionamento com a instituição”, destaca o especialista.

Dentre as várias opções de soluções digitais criadas para o universo escolar, destacamos o crescimento de usuários de agendas digitais, de aplicativos de organização diária de atividades, de comunicação entre alunos e professores, além de plataformas de vídeos e jogos que auxiliam na imersão do aprendizado, bem como aplicativos que propõem atividades envolvendo metodologias ativas, entre outros.

Segundo Arthur Igreja, as principais vantagens em adotar aplicativos na rotina escolar são: dinamismo na comunicação, agilidade, velocidade, e poder adentrar um local onde o aluno já está, “afinal de contas as pessoas estão cada vez mais imersas nesses ambientes digitais. Além disso, a capacidade de ter apontamentos, a coleta de dados e poder compreender o que está acontecendo”.

Quando bem usado, diz o especialista, a inserção tecnológica pode potencializar o conhecimento. “Pode ser uma dádiva, mas depende de quem usa e como usa. Então, é preciso muita maturidade na seleção dos aplicativos e, também, muito critério no treinamento”.

Nesse sentido, Arthur Igreja não acredita que o espaço escolar está preparado para uma evolução tecnológica. Mas, com a pandemia do coronavírus, vimos um avanço na interação entre escola e tecnologia. “Claro que há um recorte desigual, onde algumas instituições estão melhores do que outras. Mas existe uma evolução que foi iniciada com a pandemia e que continuará”, finaliza. (RP)

Saiba mais:
Arthur Igreja – [email protected]

Receba nossas matérias no seu e-mail


Relacionados
× Fale conosco!