Guia para Gestores de Escolas

Competências socioemocionais e as tendências do futuro: como preparar nossos alunos para construir o amanhã?

Quando pensamos no futuro fica fácil perceber que estamos caminhando para uma realidade cada vez mais complexa, em que as grandes questões como os ciclos migratórios, as questões climáticas, sociais, políticas, econômicas e tantas outras não serão mais resolvidas por uma ou outra nação isoladamente e nem por meio de soluções fáceis. Em um mundo cada vez mais acelerado, facilmente sentimos que as pessoas não têm tempo para nada. Vivemos uma realidade que nos deixa cada vez mais ansiosos, afinal, não temos certezas nem garantias do porvir. O mercado de trabalho tem se tornado bastante competitivo e exigente. Basta perceber como nos sentimos hoje numa simples ida à padaria ou ao cabeleireiro, ao contratar os mais diversos produtos e serviços nós exigimos cada vez mais, queremos qualidade e excelência. Assim, os outros também esperam o mesmo de nós.

Somado a isso, há o fato de que tenderemos a viver por mais tempo, o que significa novas demandas, novas oportunidades, novas pressões e novos custos. Um mundo mais fragmentado e mais solitário em que a sensibilidade e as competências socioemocionais vão fazer toda a diferença.

As competências cognitivas como o letramento e a numeração são fundamentais para o desenvolvimento do indivíduo. Porém, hoje já se sabe, por meio de pesquisas recentes, publicadas em um relatório da OCDE[1], que as competências socioemocionais fazem uma grande diferença no progresso socioeconômico, no resultado acadêmico e são responsáveis pela redução de diversos fatores de risco, tais como obesidade, violência e tabagismo, entre outros. Elas são também chamadas de não cognitivas ou de caráter. São o tipo de habilidade envolvida na manutenção de objetivos, no trabalho em grupo e no controle emocional.

As capacidades cognitivas básicas como reconhecimento de padrões, velocidade de processamento, memória, extração, acesso, interpretação, reflexão, são melhor desenvolvidas na medida em que ajudamos nossos alunos, crianças e adolescentes, a atingirem objetivos, perseverando, desenvolvendo a inteligência emocional, aprendendo a trabalhar em grupo e a lidar bem com as emoções. Uma aluna tira uma nota baixa em matemática. O que vai fazer com que ela persista e busque melhorar é a perseverança, o foco, a automotivação, a flexibilidade, em suma, a atitude proativa. Isso são competências socioemocionais.

A Metodologia OPEE, que desenvolve atividades neste sentido há mais de 15 anos, em mais de 640 escolas no Brasil todo, visa justamente favorecer o desenvolvimento de uma educação integral e integrada. Destaco esse como um case de sucesso porque afinal, no mundo inteiro há iniciativas sendo desenvolvidas na busca de uma formação mais integral, mais completa, que responda às novas demandas do mundo nas mais diversas áreas de nossas vidas. É fácil perceber, quando pensamos no amanhã, que a inteligência artificial e as novas tecnologias vieram para ficar, mudando formas de viver, de conviver, de trabalhar e de nos relacionar. Isso significa que para alunos que tenham um bom nível educacional, inspiração, acesso à tecnologia e atitude empreendedora, o futuro estará repleto de oportunidades. Já para aqueles que não têm motivação, acesso a uma boa educação e que desenvolverem uma atitude reativa, apática, o futuro pode se tornar bastante tormentoso, afinal de contas, diversas pesquisas apontam que de 60 a 75% das profissões[2] do futuro ainda nem existem e se não prepararmos nossos alunos ao longo de muitos anos para se tornarem protagonistas do amanhã, estaremos inevitavelmente formando pessoas à margem de uma sociedade que seguirá o seu próprio caminho.

E na sua escola? O que tem sido feito para ajudar cada aluno e aluna a desenvolver a inteligência emocional? Na sua instituição de ensino existe espaço para a reflexão sobre o autoconhecimento? Seus educadores têm trabalhado os valores? Seus professores se percebem como pessoas inspiradoras? E as famílias que prestigiam sua escola? São também inspiradas e orientadas a fazerem o melhor que podem? É hora de percebermos que chegou um novo tempo, um tempo que exige de nós uma formação completa e abrangente para o Homem de um novo tempo.

[1] https://www.keepeek.com//Digital-Asset-Management/oecd/education/skills-for-social-progress_9789264249837-pt#.Wqk8gvnwaM8#page1

[2] Forum Econômico Mundial, jan/2016. Disponível em: <http://www3.weforum.org/docs/WEF_Future_of_Jobs.pdf>

Receba nossas matérias no seu e-mail

Relacionados
Fale conosco!