fbpx
Guia para Gestores de Escolas

Dica — Quadras Esportivas

Matéria publicada na edição 33 | Novembro-Dezembro 2007 – ver edição online 

Quadras Campeãs

Segurança é primordial quando se fala em quadras esportivas. Por isso, além de bem construídas, atendendo padrões específicos de medidas, recuos e materiais, elas precisam de manutenção constante. Um lugar onde crianças e adolescentes correm, pulam e caem o tempo todo, precisa ser limpo, ter piso antiderrapante e em perfeito estado, sem buracos, placas (vinílicas) e tacos soltos, ou qualquer detalhe que possa ferir, como as garrinhas da trave, utilizadas para prender a rede (devem ser arredondadas).

Para Cleber Faria, engenheiro de manutenção do Colégio São Luís, que possui 11 quadras poliesportivas, a madeira é o material mais seguro para piso de quadras, mas deve ser protegida contra a umidade. “Porém, o mais prático, em termos de manutenção, é o epóxi, resistente à mancha e à sujeira”, ele acredita.

Já o coordenador esportivo do Instituto Presbiteriano Mackenzie, Fernando Drumond Kouri, considera que o piso emborrachado tem uma durabilidade maior e manutenção menor (desde que seja bem instalado). Mas esta não é a única vantagem apontada por ele. “Os pisos mais modernos utilizam o sistema emborrachado para absorver impactos, prevenindo lesões nas articulações nos membros inferiores e diminuindo as lesões ou escoriações causadas por quedas”, lembra. A instituição possui um total de 24 quadras (poliesportivas, de vôlei e de basquete) em suas unidades de São Paulo, Tamboré e Brasília.

Além do piso de madeira (taco), de epóxi e do emborrachado (pintura ou película), há outros materiais como o vinílico e o cimentado (com pintura própria para piso). Cada um exige cuidados específicos na manutenção.

O Colégio São Luís faz a limpeza das quadras de piso de epóxi com máquina, em dias alternados. Uma vez por semana, os pisos pintados são lavados (a pintura é refeita a cada seis meses) e as quadras de taco recebem aplicação de cera antiderrapante (um novo Synteko é feito em intervalos de três anos). Diariamente, elas também são varridas e revisadas, para verificar a necessidade de manutenção em sua estrutura. Uma dica para conservar o piso das quadras é que os alunos utilizem calçados com solados de borracha ou látex.

Cleber Faria acredita que uma quadra perfeita deve ser capaz de amortecer a queda de uma criança, possuir alta durabilidade, ser antiderrapante e fácil de limpar. Fernando Drumond Kouri enumera, ainda, outras qualidades. “Uma quadra adequada deve ser coberta, de preferência fechada, com boa ventilação e iluminação, limpa e conservada, com espaço para os jogos, áreas laterais e de fundo amplas, além de arquibancadas”. Ele lembra que as marcações para as modalidades esportivas, como basquete, futsal, handebol e vôlei, devem ser bem definidas e diferenciadas.

Receba nossas matérias no seu e-mail


Relacionados