setembro 8, 2016

Para gringo ver! Ensino de inglês nas escolas brasileiras está longe de ser o ideal

Publicidade

Convex – Banner de conteudo

Um estudo recente do movimento Todos pela Educação – que visa assegurar a todas as crianças e jovens o direito da educação básica de qualidade – revela dados contraditórios. Os professores de ensino infantil e do primeiro ciclo do ensino fundamental da rede pública têm formação acadêmica melhor do que os que lecionam em escolas privadas. O contraditório, no caso, é o fato de que os alunos não alcançam um nível bom de inglês.

Um levantamento feito em 2015 pela organização britânica British Council, reafirma o fato de que o ensino da rede pública é precário, principalmente do inglês. O estudo foi realizado com 1247 professores e dentre eles 39% eram formados em um segundo idioma. No entanto, mesmo qualificados, muitos educadores não têm o nível de conhecimento necessário e nem estão preparados para lecionar uma segunda língua.

Para Steven Beggs, diretor-executivo da Seven Idiomas – rede de ensino de inglês e espanhol – a má formação dos professores é o que determina a situação crítica da educação da língua inglesa na sala de aula, inclusive no ensino médio, período em que a maioria dos alunos da escola pública se forma sem conhecimento básico de um segundo idioma. “É um ciclo crítico e vicioso. Os alunos de Letras não aprendem inglês na faculdade, sendo que muitos deles vão lecionar inglês em escolas e acabam ministrando um conteúdo superficial, o que torna o aprendizado do novo idioma enfadonho. O aluno nunca sai do verbo to be’’, afirma o executivo.

Cenário reflete na população como um todo

No ranking de proficiência de inglês realizado pela empresa Education First, o Brasil está em 41º lugar entre 70 nações avaliadas. Beggs defende que para melhorar o cenário atual é preciso ampliar a imersão no inglês, atuando em diferentes frentes.  ‘‘Como uma rede de escola de inglês, nos preocupamos em ir além da sala de aula. Oferecemos assessoria aos professores para treiná-los do zero, ensinando métodos eficazes, na prática, para que aprendam de vez o idioma e a dar aula, utilizando didáticas atraentes para os alunos’’.

Nos colégios, a Seven Idiomas oferece o Sistema Bilíngue, que tem como base pesquisas sobre como se aprende de forma eficaz um novo idioma através da neurociência e da neuroaprendizagem. A metodologia de ensino é aplicada desde a educação infantil com crianças de três anos, que, segundo os especialistas, é a melhor idade para apreender um novo idioma, passando pelas turmas do ensino fundamental e ensino médio. Ao final de cada ciclo escolar, todos os alunos passam pelo exame internacional de proficiência Cambridge English  do qual a Seven é Centro Oficial Autorizado para exames e desenvolvimento docente.

Sobre a Seven Idiomas

A Seven Idiomas é uma rede de cursos de inglês e espanhol, presente no estado de São Paulo. Foi fundada em 1987 e adotou formato de franquia em 1995. A Rede Seven Idiomas trabalha com parâmetros internacionais de excelência e oferece cursos nas unidades, em empresas, colégios, além de ser um Centro Autorizado Oficial de exames e desenvolvimento docente   Cambridge English  (proficiência em inglês). Com 80 mil alunos matriculados desde sua fundação, a Seven Idiomas hoje busca expandir em cidades do interior paulista e Rio de Janeiro (capital).

Assine nossa Newsletter

Veja agora este vídeo

Comentários encerrados.