Guia para Gestores de Escolas

Está pensando em reformar o a sua escola para 2018?

Fique de olho nessas dicas para não ter dor de cabeça

Por Leiza Oliveira

O ano novo se aproxima e com ele vêm as ideias de melhoria dos nossos negócios. Faço a gestão de mais de 70 escolas de inglês, da rede Minds Idiomas, e por trabalharmos em um sistema de franchising há padronização em todas as unidades. Manter esse padrão, incluindo a arquitetura/estrutura, não é uma tarefa fácil. Afinal, o Brasil tem mais de 8.516.000 km² de extensão e a Minds está presente nas 5 regiões do país.

Logo, é preciso um planejamento para realizar as reformas dessas escolas. Todavia, conseguir os mesmos fornecedores, obter prazos coerentes, ou mesmo reduzir o tempo das escolas fechadas para reforma, são alguns dos desafios que temos nessa época do ano.

A maioria das matrículas acontece em Janeiro. Mesmo em negócios que não são do segmento educacional exigem uma renovação física e interna para um bom começo de ano.

Por isso, implantei na Minds um planejamento desde começo de Setembro, com os mais de 100 franqueados. Que contempla: fases da reforma, análise dos custos e receita disponível em cada unidade. Para ajudar você, gestor educacional, seguem algumas dicas para não ter problemas nos reparos da sua escola:

Contrate uma empresa de gerenciamento – Em um primeiro momento você pode achar que este custo é desnecessário. Todavia, é o mais importante. Um gerenciador de obras é responsável por todos os outros prestadores de serviço. Isso fará com que fique mais fácil para você monitorar o andamento da obra. Afinal, estará centralizado nesse engenheiro (a). Pesquisa bem e contrate uma empresa bem avaliada;

Entre em acordo com o Engenheiro sobre o tempo de entrega – É aquele velho ditado, o combinado não sai caro, e no caso de reforma acertar o prazo de entrega é imprescindível para o sucesso da sua escola. Isso porque em Janeiro é o período que mais acontece matrículas. Logo, estar com a escola operando e bonita para receber os pais pode ser um critério de desempate para eles optarem pela sua instituição de ensino;

Seja criterioso (a) com o que realmente precisa reformar – Essa é outra dica que parece óbvia, porém difícil de aplicar. Quando estamos na situação tendemos a não enxergar outros lados, no caso da reforma outras “paredes”. Isso acontece porque ao reformar queremos deixar tudo como imaginamos, entretanto devemos ser realistas com a quantia que temos disponível para realizar a reforma, se realmente precisamos reformar aquela sala, o hall de entrada da escola, ou se a prioridade é modificar a fiação, por exemplo. Vale uma conversa com o gerenciador de obras e também com conhecidos. Lembre-se de não investir mais do que têm;

Acompanhe a obra – E acredite não necessariamente você precisa estar na obra da sua escola todos os dias. Há muitas empresas de gerenciamento que permite que o cliente monitore por meio de aplicativos, planilhas, imagens e etc.

Confie nos prestadores de serviço – É normal ficarmos ansiosos quando reformamos o nosso negócio, porém confiar em que está fazendo este trabalho também é algo importante. Uma reforma envolve muitos prestadores de serviço. Lembrem-se eles estudaram e tem experiência para mexer na estrutura da sua escola.

 

Leiza

Leiza Oliveira é CEO e diretora educacional da rede Minds Idiomas. Fez magistério, ciências contábeis e administra um total de 70 escolas de idiomas. Possui escolas nas 5 regiões do país. Realiza treinamento de franqueado, lida diretamente com alunos e atualmente reside nos Estados Unidos para trazer tecnologia para dentro das salas de aula das escolas da Minds.

Receba nossas matérias no seu e-mail


Relacionados
× Fale conosco!