Guia para Gestores de Escolas

Exercício da cidadania e protagonismo do conhecimento: o sujeito como foco central dos projetos de aprendizagem

n-TEACHERS-628x314

Por Cátia dos Santos Xavier, Consultora Educacional da FTD Educação 

“Educação é o processo de vida e não uma preparação para a vida futura e a escola deve representar a vida presente real e vital para o aluno como a que ele vive em casa, no bairro ou no pátio”
(Jonh Dewey)

Ao longo dos anos, a escola estabeleceu uma relação com a sociedade, sinalizada por aproximações e rupturas, sempre atrelada ao tempo histórico e aos aspectos sociais, políticos, econômicos e culturais de cada contexto. É preciso ter clareza da função social da escola e do sujeito que se quer formar. Contudo, as crianças não podem ser consideradas como “cidadãos em formação” e sim já fazendo parte do corpo social como enfatiza Dewey. Para que haja esse resgate, é necessária a implantação de práticas que transformem, significativamente, a estrutura da escola, reorganizando o tempo, o espaço, a forma de ensinar, aprender, avaliar e desenvolver o currículo.

No cenário atual é fundamental a utilização dos projetos de aprendizagem, porque apresentam características investigativas, fomentando o protagonismo do sujeito, uma vez que este precisa se envolver com o tema escolhido e buscar respostas convincentes para o objeto de estudo, o que o aproxima, cada vez mais, da atualidade, oportunizando a atuação em sociedade e fortalecendo o exercício da cidadania.

A prática educativa vinculada a aplicação de projetos de aprendizagem contribui, de forma eficiente e eficaz, na construção do conhecimento por parte dos sujeitos, pois os projetos têm abrangência global, coletiva e processual. Global quando considera todos os envolvidos dentro da instituição – abrange conhecimentos filosóficos, psicológicos, sociológicos. Coletivo à medida que todos fazem parte de execução do projeto, coordenadores, docentes, pais, alunos, funcionários. Processual porque o que realmente importa é como o conhecimento se estabelece.  Esse envolvimento entre os integrantes da escola cria um vínculo e mostra a importância da construção social onde os sujeitos se tornam protagonistas e exercem a cidadania.

O projeto é uma atividade organizada que tem por objetivo resolver um problema. Constitui-se em planos de trabalho e em um conjunto de tarefas que podem proporcionar uma aprendizagem diversificada e significativa em tempo real. Favorece a construção da autonomia e da autodisciplina, tornando o processo de ensino aprendizagem mais dinâmico, significativo e interessante para o sujeito. Propõe a ação participativa no seu processo de produzir fatos sociais, por meio da troca de informação e  do desenvolvimento de competências. O aluno é visto como sujeito ativo que usa suas experiências e conhecimentos para resolver problemas. O conhecimento é como instrumento para a compreensão da realidade com vistas à intervenção nela. A sala de aula é considerada como fonte permanente de investigação, reflexão e animação, construindo uma postura pedagógica atrativa. Trabalhar por projetos de aprendizagem propõe, por outro lado, ao educador abandonar o papel de transmissor de conteúdos para se transformar num pesquisador. Dessa forma, o aluno estabelece suas próprias estratégias de aprendizagem, tornando-se protagonista, inserido num contexto social que estimula o exercício da cidadania. Como afirma Jonh Dewey, “Educação é o processo de vida e não uma preparação para a vida futura”.

 

Foto cátia xavier

Cátia Xavier é Psicopedagoga clínica e institucional. Pedagoga especialista em Supervisão Escolar, Administração e Disciplinas do Magistério. Atuou como professora de Educação Básica e conta com formação internacional em Educação na Abordagem Reggio Emília, na Itália.  Atualmente é Consultora Educacional da FTD Educação.

 

 

Foto: ©Reprodução

Receba nossas matérias no seu e-mail


Relacionados
× Fale conosco!