Fevereiro 10, 2015

Seis dicas para levar eventos artísticos ao ambiente escolar

Publicidade

CULTURA INGLESA – BANNER DE CONTEUDO

Muitas escolas, reconhecendo a importância da arte na educação, já oferecem atividades extracurriculares de teatro, música, dança e artes visuais. O contato com o fazer artístico é de extrema importância para a formação do ser humano. Outra forma de instigar os alunos a introduzirem a cultura em suas vidas, tornando-os cidadãos que “consomem”arte é promover eventos dentro da instituição, trazendo espetáculos para o ambiente escolar.

É inegável o valor de se promover saídas culturais que levam as crianças a teatros e museus, por exemplo, mas levar a atividade para dentro da escola tem algumas singularidades muito valiosas. Dentre elas, podemos destacar a não necessidade de deslocamento, fator que muitas vezes é crucial para a realização de uma atividade externa, por questões financeiras ou de segurança (principalmente com crianças do ensino infantil). Quando ocorre dentro da escola, esse fator já é, logo de cara, eliminado.

Apresentações de dança, teatro, narração de histórias, circo, shows musicais e aulas-espetáculo são oferecidas por companhias, grupos, duplas, artistas solo, entre outras configurações. Muitas já possuem espetáculos especialmente formulados ou de fácil adaptação para o ambiente escolar.

Ao receberem um espetáculo na escola, os alunos ganham a oportunidade de estarem perto dos artistas e interagirem com eles em seu ambiente. É uma quebra de rotina muito interessante e estimulante. Para facilitar a leitura, vou usar o termo companhia para designar o contratado.

Como artista e educadora musical, tive a oportunidade de vivenciar a experiência de realização desse tipo de evento pela ótica do contratado e do contratante. Levanto aqui seis pontos que acredito serem importantes ao optar por um evento artístico:

1)    Pesquisar antes de escolher: com as ferramentas de busca da internet, a direção tem à disposição uma série de informações valiosas, que ajudam na decisão de qual espetáculo é mais adequado às suas expectativas. Passeie pelo site ou blog da companhia, veja vídeos, fotos e histórico de atuação, matérias e críticas publicadas. Use as ferramentas de busca digitando o nome do espetáculo e/ou companhia que lhe interessou para saber em que programação já foi inserido e se foi realizado em escolas. Mas fique atento, pois nem sempre um site bonito indica que o conteúdo artístico seja da mesma qualidade. Se possível, assista uma apresentação ao vivo do espetáculo que quer contratar. Só assim você terá a noção real do que estará oferecendo aos seus alunos. Se isso não for possível, solicite à companhia um vídeo sem ou com pouca edição.

2)    Adequação às idades: muitas escolas cometem a falha de contratar um único espetáculo para todas as faixas etárias. A arte fala a todos, mas existem diversos aspectos na construção de um espetáculo que são direcionados para determinadas idades. A questão financeira não deve falar mais alto. Misturar muito as faixas etárias pode colocar em risco o aproveitamento de todos, já que crianças muito pequenas podem chorar ao se sentirem com medo ou cansadas em espetáculos que não foram construídos para atender às suas necessidades. Um espetáculo para crianças do ensino infantil, por exemplo, geralmente tem uma duração que não excede 40 minutos. O ideal é que a direção monte uma programação que contemple a todos, contratando espetáculos distintos. Uma mesma companhia pode oferecer em seu repertório apresentações adequadas às diferentes idades.

3)    Número de crianças por espetáculo: esse é outro aspecto que também é muito condicionado ao fator financeiro e que, se negligenciado, contribui negativamente para a realização do evento. Quando o número de crianças que um espaço comporta é excedido, todos são prejudicados. A concentração torna-se fraca, os burburinhos aumentam. Os professores e auxiliares não dão conta de ajudar as crianças com as saídas para o banheiro ou com a disciplina. Fica inviável que eles próprios prestem atenção e participem da atividade. A visão e audição ficam prejudicadas e, por consequência, o entendimento. A solução proposta é que seja negociada uma contratação do número de apresentações necessárias para atender a todos os alunos. Ao contratar mais de uma sessão por dia, o gestor pode negociar o valor total, encontrando um meio-termo que seja proveitoso para ambas as partes. Para o artista também é muito mais prazeroso apresentar-se e interagir com uma plateia que esteja atenta e confortável.

4)    Local de apresentação: como muitas escolas não possuem teatro ou anfiteatro, esse tipo de evento é realizado no pátio ou quadra poliesportiva. A acústica das quadras não é adequada para a maioria dos espetáculos, pois o som reverbera muito, fazendo com que o entendimento da fala e da trilha sonora fiquem prejudicados. Nesse caso, o ideal é encontrar na escola uma sala ampla, ou mesmo um pátio que tenha uma acústica mais favorável. Se estiver em dúvida, peça ajuda à companhia contratada e, no caso de espetáculos com uma estrutura de cenário mais elaborada, você pode solicitar uma visita técnica para que, juntos, encontrem o espaço ideal para a realização do evento. Com o espaço escolhido, solicite à companhia um mapa de palco com a localização e dimensões do cenário que será montado. Assim, você já pode deixar o espaço preparado para a montagem de cenário, retirando móveis, efetuando uma limpeza prévia e organizando o espaço onde o público ficará, com cadeiras, almofadas ou colchonetes.

5)    Necessidades técnicas: além do mapa de palco, solicite à companhia uma lista dos equipamentos que serão utilizados. Caso o evento não seja realizado em teatro ou anfiteatro, provavelmente não utilizará sistema de iluminação. Verifique, antes de contratar, qual equipamento de som será utilizado e se a equipe contratada disponibilizará o mesmo ou se escola será responsável por providenciá-lo. Caso seja responsabilidade da instituição, observe com cuidado o que for solicitado, pois muitas vezes o equipamento de som que a escola usa nos seus eventos internos (geralmente uma caixa multiuso e microfone de bastão) não é adequado para uma apresentação e a direção terá que arcar com o custo de contratação de uma empresa especializada em equipamento de som.

6)    Divulgação e atividades pós-evento: solicite à companhia um material básico para divulgação (como release do projeto e fotos) junto aos professores, alunos e pais. É muito importante que todos os educadores conheçam previamente o conteúdo do espetáculo e preparem suas turmas, principalmente as crianças mais jovens, que não estão acostumadas a esse tipo de evento. Após a apresentação, a aprendizagem pode se estender à sala de aula, aproveitando o tema do espetáculo. Verifique com a companhia se ela possui sugestão de atividades interdisciplinares.

Todos esses pontos abordados podem dar a impressão de que contratar um evento é muito trabalhoso. Quando a companhia artística, produtora cultural ou empresa especializada em projetos educacionais contratada é profissional, tudo torna-se muito mais fácil e todas essas questões abordadas serão partilhadas e solucionadas em conjunto, criando uma parceria entre contratante e contratado.

 

DENISE

Denise Venturini, atriz, cantora e educadora musical, está à frente da Cia Vento de Inventar (www.ventodeinventar.com.br), voltada especialmente para a idealização e realização de projetos de música e teatro para o público infanto-juvenil em instituições públicas e privadas. Este trabalho une a expertise como professora de música em diversas escolas, além da atuação como atriz, cantora e preparadora vocal em renomadas companhias. Entusiasta da música como agente transformador, colabora nesta coluna abordando diversos assuntos de interesse da comunidade escolar. Deseja esclarecer alguma dúvida ou sugerir novos temas? Escreva para ventodeinventar@ventodeinventar.com.br

Assine nossa Newsletter

Veja agora este vídeo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.