janeiro 11, 2017

PROCESSOS COGNITIVOS, DESENVOLVIMENTO HUMANO E APRENDIZAGEM ATRAVÉS DO ESPORTE

Publicidade

CULTURA INGLESA – BANNER DE CONTEUDO

Os estudos da Psicologia e suas diversas linhas de pesquisa sobre desenvolvimento humano nos últimos anos permitiram modificar 2 perspectivas:

  • Os bebês possuem um mundo cognitivo rico, complexo e organizado ainda que distante das características da cognição de um adulto.
  • Essa bagagem cognitiva serve primordialmente para ajudar na relação da criança com o mundo a sua volta: pessoas e objetos.

A percepção é o mecanismo central nesse contexto, em especial a percepção visual, devido à predominância desse sentido sobre os outros nos seres humanos. Há um contraste no desenvolvimento de outras competências nas quais o progresso é notadamente mais lento (como a linguagem, por exemplo).

Alguns investigadores sugeriram que o desenvolvimento perceptivo é a plataforma de lançamento para outros aspectos do desenvolvimento cognitivo. Nos primeiros 6 meses de vida são impressionantes os progressos na percepção que as crianças conseguem, porem, ainda há muito a se evoluir em outras capacidades cognitivas como a atenção, a tomada de decisão e a memória por exemplo.

A utilidade principal da percepção é a de relacionar o organismo com seu meio e com os aspectos desse meio que são efetivamente importantes. Quanto mais complexos os organismos, maior a importância da aprendizagem para que se possa selecionar os aspectos realmente importantes presentes no meio e para que a atuação desse individuo seja a melhor possível.

As crianças têm preferências visuais já ajustadas de forma inata. Essa preferência resulta em dar maior atenção para uns estímulos em detrimento de outros. Existem certos níveis de complexidade ao qual a criança pode responder: se o nível de complexidade é muito alto ou muito baixo então o foco de atenção se modifica e a criança procura outros estímulos disponíveis no ambiente.

A percepção é intersensorial, ou seja, é perfeitamente possível a interação dos outros sentidos com a visão. Esse funcionamento combinado depende de aprendizagem gradual para que a criança saiba lidar cada vez melhor com essa interação. A percepção também está vinculada a outros processos cognitivos como a memória, a retenção de informações (conhecimentos) e a atenção, porém, os mecanismos de funcionamento desses ainda serão aprimorados, seja em seu funcionamento isolado ou em seu funcionamento integrado.

Os seres humanos nascem com enorme potencial de interação social: essa é uma orientação dotada geneticamente que deve ser bem trabalhada por aqueles que cuidam e educam da criança.

Além disso, o domínio do conhecimento e a inteligência para os seres humanos se constroem através do meio social: com os personagens, acontecimentos e ações que ocorrem em um contexto social. O conhecimento de objetos é o ponto de partida para o enriquecimento da inteligência humana. São construídos esquemas (memória) que abrangem as relações físicas dos objetos, os tipos de objetos e as relações dos objetos entre si. A partir do conhecimento das relações espaciais dos objetos, se constrói a relação temporal entre os acontecimentos e/ou os objetos. Esse entendimento temporal leva ao aprimoramento de outra capacidade cognitiva importante: a tomada de decisão.

O conhecimento categorial permite à criança associar conjuntos de coisas aparentemente díspares relacionando-as através de semelhanças e criando categorias de objetos. Os bebês, por exemplo, já categorizam os tons da voz humana e vários objetos. Essa categorização se dá através de um processo lógico que é altamente relacionado com os processos de memorização.

A linguagem tem um papel muito importante nesse processo de categorização, pois, permite um refinamento cada vez maior dessas categorias, ainda que esses 2 processos envolvam um aprendizado paralelo, gradual e cada vez mais eficaz em seu uso. Esse aprimoramento da linguagem e da categorização dos objetos e conhecimentos é uma ferramenta importante para a construção de uma importante competência cognitiva: a resolução de problemas.

O pensamento da criança passa de uma condição de funcionamento assistemático e baseado em princípios intuitivos (o que leva em geral a condutas aleatórias e erráticas) para um pensamento sistêmico e racional (que leva a condutas mais ordenadas e estáveis). Em tão poucos anos a criança aprende a lidar com um ambiente complexo e articulado (uma trama de relações espaciais, temporais, causais e motivacionais), mesmo sem treinamentos especiais, o que justifica as afirmações de que o cérebro da criança é altamente capacitado e que as crianças têm uma capacidade absurda de aprender qualquer coisa.

André Rimoli Costi Possui Graduação Plena em Educação Física, com especializações na área da Fisiologia do Exercício e Treinamento Desportivo. Mestrado em Administração de Empresas, com trabalhos relacionados a consultoria, assessoria e a gestão desportiva. Atua na área docente do ensino superior/pós graduação. Proprietário da ARC Sports – Assessoria e Consultoria Esportiva, que desenvolve trabalhos educativos/esportivos, com implantação de trabalhos voltados para qualidade de vida, saúde, e performance em escolas, empresas, clubes e condomínios.

Continue Lendo

Assine nossa Newsletter

Veja agora este vídeo

Comentários encerrados.