Guia para Gestores de Escolas

Era uma vez… uma menina…

“A doença do homem normal é uma doença da imobilidade. Saber mover a mente é contribuir para superar esta enfermidade”. Guillaume Le Blanc Era uma vez... uma menina que sonhou em fazer a diferença no mundo... mesmo não sendo…
Leia mais...

Educar: uma aposta humana que leva tempo

Procuro me apoiar em uma das minhas histórias prediletas – Alice no País das Maravilhas – para pensar nossa missão ética diante da educação contemporânea. Gosto muito da leve e direta abordagem sobre Ética apresentada por Mário Sérgio…
Leia mais...

Sem pressa

Hoje vou começar minha coluna tomando como referência a sabedoria e sensibilidade do nosso querido e saudoso Rubem Alves que, de uma forma muito sensível, percebeu que o que as escolas precisavam é de ESCUTAR mais seus alunos, adequar menos…
Leia mais...

Empoderar sim

Outro dia eu escutei que sou uma mulher empoderada. Lógico que fui tecer meus pontos sobre tal palavra. Lembrei que sou até madrinha de um blog sobre empoderamento feminino: direcionalescolas.com.br/empoderamento-feminino-nas-escolas.…
Leia mais...

ESCUTAR MAIS…

Por Jane Patrícia Haddad Acredito que o momento atual na educação é um convite à arte de ESCUTAR. Assim, gostaria de convidar cada um/a de vocês, gestores/as e professores/as, a refletir sobre isso. Recentemente, li um livro que se chama…
Leia mais...

CONVITE: O MAL-ESTAR EDUCACIONAL

O mal-estar, que paira na educação contemporânea, esbarra na pressa de mudanças a sair de um discurso denunciante: “Os alunos de hoje não respeitam normas, não estudam, não querem nada com nada, não têm disciplina e desconhecem…
Leia mais...

Recorte do meu percurso

Hoje meu artigo vem coberto de emoção e ainda muita reflexão. Acabo de retornar de uma jornada na Educação Cubana e pude reviver o que vivi lá no ano de 2003, quando apresentei meu primeiro trabalho pedagógico. Passear, andar e estudar em…
Leia mais...

Sobre o livro: o acerto de contas de uma mãe

"Hoje eu consigo ver que havia sinais (de que o filho tinha problemas). Ele havia sido preso, tinha problemas na escola. Mas eu não percebi que essas coisas eram sinais de um problema mental. Por isso eu escrevi esse livro, para mostrar que…
Leia mais...
× Fale conosco!